Opinião Semanal #47

 

Mais uma semana cheia de mangas para comentar, com mais uma estreia, PSI, gag manga que estreou recentemente na Jump e que finalmente teve scans. Ao contrário do que gostaria esta semana teve muitos mangas com capítulos maus e principalmente mangas com capítulos sem nada demais, em contrapartida também não houve grandes capítulos, tanto que Rookies conseguiu brilhar e chegar a um excelente ranking.

 

18ºReborn 406:

 

Nem sei oque comentar sobre este capítulo, porque no geral é o Reborn do costume e não entrega nada, tanto pode terminar na próxima semana, como ter mais uma saga, é uma questão de esperar por quarta-feira e ter a certeza se o manga terminará ou começar outro arco. Seja como for não vejo qual o sentido de continuar com o manga, o mais importante já foi mostrado, tudo agora é puro capricho ou coisas que já poderiam ter sido resolvidas antes, o pior é que com a posição que Reborn ocupa nas tocs hoje em dia se não aproveitar e terminar agora, será uma questão de tempo até ser cancelado, até porque muita gente irá dropar o manga se ele continuar, ou seja cair ainda mais nas tocs é inevitável.

 

Mas sobre o capítulo, confirmou-se um drama gigantesco para nada, no final tudo foi resolvido na base da conversa, com explicações forçadas e uma resolução feita à pressa. Até gostei da maneira como toda a história da maldição dos arcobalenos terminou, com eles ainda bebés, excepto a Lal Mirch, mas aí entraria a questão da expectativa de vida, será que os anos que eles já viveram não irão contar? Seja como for, isso seria entrar em campos de qualidade que Reborn nunca abordou.

 

 

Aquela cena no hospital combina perfeitamente com Reborn, o que por si só já é uma crítica, de qualquer maneira se o manga terminar na próxima semana, isso poderia servir como despedida desses personagens aos leitores. E no final a cena que me fez colocar Reborn em último, novamente uma cena que combina na perfeição com Reborn, relembremos que nos últimos capítulos o Tsuna tem dado uma de superdotado, mas a sua inteligência superior não lhe deixe perceber o obvio.

 

Para concluir, para aqueles fãs de Reborn que dizem que ainda falta isto e aquilo para ser abordado no manga, só relembro-vos de Slam Dunk. Para quem já leu o manga, pensem no que os fãs pensaram ao ler o penúltimo capítulo do manga. Slam Dunk, sim, ainda tinha muito por mostrar, tanto que o autor teve de abandonar vários plots que tinha criado, mas o Inoue inteligente como é, percebeu que mesmo que continuasse não conseguiria fazer um jogo mais emocionante que aquele, além de que viu uma oportunidade perfeita para concluir um manga num final cruel, mas ao mesmo tempo genial.

 

 

17ºKuroko no Basket 26-35:

 

Comentando nesta semana sobre o jogo contra o Midorima, o jogo mais forçado do manga, pelo menos espero que o seja, onde Seiren foi visto como um Underdog o tempo todo. Não me entendam errado, uma boa história de um verdadeiro Underdog normalmente saí algo épico, afinal o último jogo de Slam Dunk baseia-se totalmente nisso. O problema é que este jogo em Kuroko no Basket não seguiu a ideia do último de Slam Dunk, mas sim o último jogo do torneio nacional de Eyeshild21, ou seja um jogo impossível de ganhar, mas que é ganho.

 

Mesmo que Kuroko tenha tocado num ponto extremamente importante, uma jogada de 3 pontos dá mais pontos que um afundanço, mas um afundanço na altura certa dá uma motivação extra à plateia e aos próprios jogadores que um cesto de 3 pontos nunca poderá dar. Mas mesmo com isso e com a maneira com o jogo foi desenvolvimento era impossível Seirin ganhar o jogo.

 

 

Fora que o “poder” do Midorima é extremamente exagerado mesmo que se tenha em conta o nível cliché e de exagero de Kuroko no Basket, marcar o cesto de qualquer lugar da quadra é algo que o autor nunca deveria ter criado. Porque ele até deu boas explicações para Seirin ter ganho, mas nenhuma realmente me convenceu, até porque em nenhum momento o autor mostrou que o Midorima se poderia cansar. Além disso há a história do horoscopo que podia muito bem ser deixada de lado, porque só ajudou a tornar o resultado ainda mais incoerente.

 

Esta poderia ter sido uma boa altura para eles perderem o primeiro jogo, apesar de que não vejo o Midorima com essa moral toda para ser o que ganhou ao Kuroko, algo que o adversário seguinte tem. De qualquer maneira a seguir é o Aomine, que na altura que li essa parte até cheguei a pensar que ele fosse o principal da Geração dos Milagres, o que me deixa ainda mais curioso para ver os outros dois, o melhor o Akashi, o capitão da Geração dos Milagres.

 

Na sexta acabei-me empolgando e li todos os capítulos lançados em português, nas próximas semanas irei comentar por arcos, ou seja para a semana o jogo contra o Aomine. E uma última coisa ao ler os próximos capítulos percebi o quanto o autor sabe o que está a fazer, mesmo que o manga siga um caminho cliché e exagerado, mas logo comento melhor depois.

 

 

16ºNaruto 606:

 

Difícil rankear este capítulo, porque este capítulo tem dois lados bem distintos, a primeira metade que devia ter ficado em último lugar no ranking e a segunda metade onde o Kishimoto tenta juntar todas as peças. É engraçado porque ainda esta semana tinha defendido Naruto, porque mesmo que aquela cena do capítulo 600 tivesse ficado infantil, o autor até estava a conseguir convencer com a Rin ser o motivo para tudo começar, mas depois apresenta este capítulo, onde me conseguiu surpreender, já que fez algo ainda mais infantil do que a tal cena do capítulo 600. Moral da história, nunca elogiar Naruto, porque o Kishimoto logo trata de mostrar que se está errado.

 

Outra cena engraçada foi eu ter comentado em tom de piada ao Ever sobre colocar aliens em Naruto e não é que o Kishimoto vem mostrar que afinal não estava assim tão longe da verdade, não que aja aliens, por agora, mas o Juubi já foi selado na Lua, então se Naruto demorar muito a ter ser concluído, não me surpreenderia se isso fosse mais explorado. Mas agora mais a sério, Madara ao mesmo nível do Rikudou Senin? Agora sim o Kishimoto exagerou, curioso para ver como o Naruto derrotará alguém que está no nível do ninja lendário.

 

 

Outra coisa que não faz muito sentindo é ver que o Rinnegan nada mais é que o estágio final do Sharigan e menos sentido ainda o Pain afinal ter ganho o Rinnegan, o que só comprova que só não tem jutsus oculares quem não quer. A única coisa positiva desse capítulo foi o final, que explica o porquê de o Itachi pensar que o Tobi era realmente o Madara, por outro lado é incrível a facilidade com que o Madara entrega tudo ao Obito, está certo que ainda está ali o Zetsu, mas o Madara morre e deixa no Obito a esperança de ser renascido, o Obito simplesmente podia abandonar o plano, ir viver num eterno gengutsu com a Rin e ninguém morreria, não que realmente alguém tenha morrido na guerra.

 

 

15ºGin no Saji 51:

 

Capítulo completamente sem nada para comentar, não foi mau, mas não mostrou nada de novo. À espera do final do arco.

 

 

14ºBleach 512:

 

É engraçado como muitas vezes não veem as palavras certas para comentar sobre algo, mas por outro lado aparece outra coisa que explica bem o que senti lendo este capítulo de Bleach. No caso foi Homeland, uma das melhores séries em exibição, apresentou no último Domingo um episódio filler, foi um mau episódio? De maneira alguma, afinal é Homeland, mas não deixou de ser filler, o anterior tinha terminado com a revelação bombástica que se esperava desde o primeiro episódio da série e no episódio desta semana apenas enrolou, finalizando o episódio da mesma maneira que o anterior, com a diferença que mais uma pessoa ficou sabendo, a pessoa chave diga-se.

 

Em termos de qualidade não dá para comparar Homeland com Bleach, mas nesses capítulos/episódios em questão dá, tanto o episódio de Homeland como o capítulo de Bleach foram bem executados e tanto os dois foram pura enrolação, podiam desaparecer que não fariam grande falta. E é engraçado porque a parecença entre os dois não fica por aí, já que a enrolação deve-se a um único factor nos dois casos, a diferença é que em Homeland é a revelação mais bombástica da série, até mesmo maior do que o final da primeira temporada, já em Bleach é o Ichigo, que toda a gente já sabia, só não queria acreditar, ou seja Homeland ansiedade para assistir o próximo episódio, Bleach decepção.

 

 

Mas como disse o capítulo foi bem executado, não é a primeira vez que o digo e não será a última, o Kubo de vez em quando tem alguns momentos de genialidade, este foi um desses casos, só que o problema dele é que ou não sabe ligar esses momentos de génio ou não sabe construi-los. Pode parecer apenas haterismo dizer que o motivo para o capítulo ter falhado é pelo personagem em destaque ser o Ichigo, mas não é. Por duas razões, primeira é protagonismo, o pior cliché que existe e o segundo é pelo mesmo motivo que critiquei o Oda há uns tempos atrás quando o Vergo apareceu, só que de uma maneira diferente, ou seja, qual o sentido em fazer um personagem aparecer apenas como sombra se já se sabe quem ele é, ainda para mais gastar um cliffhanger e depois 19 páginas com isso.

 

Se fosse outro personagem que não se conhecesse ai sim poderia fazer sentido, e digo poderia, já que depende da situação. Já que daria aquela dúvida se é alguém conhecido ou não e acabaria no final por surpreender, ou seja teria contrariado as expectativas dos leitores, teria jogado com as suas mentes e no final teria surpreendido, basicamente o que o autor de Toriko fez na perfeição no capítulo desta semana. Mas não o Kubo decidiu seguir o exemplo de Fairy Tail, fazer aparecer o seu protagonista e dar razão aos leitores para criticar.

 

 

Além disso o autor ainda dá mais protagonismo à cena, já que faz com que o Ichigo pareça que vai salvar o dia, cheio de poses e tudo mais. Como disse nos comentários ele já ganhou o direito de ser respeitado pelos grandes nomes da Soul Sociaty, o que não é pouca coisa, mas ser o Salvador do Mundo? Igual ao Goku ou o próprio Naruto? Ai já é forçar e me pergunto o que aconteceria se em vez do Ichigo fosse o Hitsugaya a dar uma de estrela e querer aparecer? O mais provável era o Juha Bach chegar perto dele pisá-lo igual formiga e seguir em frente, mas o Ichigo de certeza vai merecer uma conversa.

 

A melhor cena do capítulo sem dúvida foi a conversa do Ichigo e do Byakuya, mas mesmo assim me suou forçado e o mesmo que venha dizendo nos últimos parágrafos, protagonismo, e nem é por ele depositar as suas esperanças no Ichigo, mas sim por o Yamamoto ter morrido e o Byakuya ainda pensar que o Ichigo ganha. O Shinigami de mais de 100o anos de idade morre com um golpe, mas o meio shinigami de nem 18 anos já consegue proteger a Soul Sociaty.

 

PS: Para quem ainda não acha que Bleach enrolou ou que teve um bom capítulo é olhar para as imagens que coloquei no post, duas delas tem o Ichigo a fazer pose, como pode um capítulo não enrolar quando o autor coloca o meso personagem a fazer pose duas vezes no mesmo capítulo, claro a não ser que seja o manga sobre moda, ai faria sentido.

 

 

13ºFairy Tail 304:

 

Foi um bom capítulo de Fairy Tail, mesmo com as suas cenas dispensáveis do costume, a primeira delas a cena do gato sozinho, uma morte de um personagem, mesmo que um gato tem de ter emoção, mas toda a história até ao momento não me disse nada e aquela cena do gato sozinho no início deste capítulo foi mais irritante que outra coisa.

 

Novamente o Mashima mostra que tem boas ideias só não as sabe utilizar da melhor maneira, esse último jogo é simples mas eficaz, só acho que faria mais sentido se tivesse sido feito no inicio do Jogos Mágicos, dando assim quem ganhasse uma boa vantagem sobre o resto, agora sendo o último jogo meio que não faz muito sentindo afinal a Fairy Tail tem 45 pontos e apenas neste jogo está em causa mais de 50 pontos, muda muita coisa, quando o último jogo deveria ser só a confirmação da vitória.

 

O grupo do Natsu como já estava à espera é a parte menos interessante do capítulo, com uma entrada no castelo bem fácil, nem digo por aquela ideia funcionar, mas mais por o Natsu ser o que foi capturado, afinal ele deu um show nos jogos meio estranho pensar que ele foi capturado assim. No final, nova personagem e novo plano, esperar para ver no que isso vai dar.

 

 

12ºTakamagahara 11-12:

 

“Tamagahara, eu gostei do manga, mas me pareceu algo Shonen Champion, muito exagerado e pesado para a Jump actual, é um manga que eu sei que iria acabar por gostar com o tempo, mas tempo é coisa que os mangas da Jump não têm, pelo menos no início, além de que como referi não acredito que tivesse muito publico.”

 

Essas foram as minhas exactas palavras quando comentei sobre a raw do one shot, que relembro foi publicado na Golden Future Cup do ano passado. E hoje em dia não podia estar mais de acordo, o manga tem cara da Shonen Champion e infelizmente para o manga, o autor e a Jump ninguém pensou nisso, ou melhor decidiram seguir em frente, mesmo sabendo disso. E o facto do tão comentado capítulo não ter saído do último lugar na toc só demonstra isso, nunca teve hipóteses, porque nunca teve público.

 

Sobre os capítulos, foram clichés, como sempre e até funcionaram bem, o meu único problema é que os personagens adversários são todos iguais, todos tem o mesmo estilo de desenho e isso acaba tirando a personalidade dos personagens, algo essencial. Mas por outro lado as Dádivas Divinas continuam interessantes.

 

 

11ºNisekoi 43:

 

Vou comentar apenas o 43 porque não faz muito sentido comentar sobre dois capítulos totalmente diferentes, para além disso o próximo capítulo começa um arco, então deixar as coisas divididas como devem ser. Sobre o 43, foi um bom capítulo e bom desfecho para o arco, mas esperava um pouco mais, em especial juntar o final do 44 no festival, até porque faria mais sentindo afinal, o destaque deste capítulo foi o amuleto do amor, o que não tornaria a tal cena do próximo capítulo tão aleatória.

 

 

10ºHajime no Ippo 947-950:

 

Cada vez mais perto da Chrono ficar em dia com Hajime no Ippo, nem sei ao certo quantos são, mas é bem possível que a Chrono fique em dia antes do tão esperado capítulo 1000.

 

Sobre os capítulos, o 947 foi bem interessante, fez regressar um personagem que já há algum tempo não aparecia, o amigo mangaka do Ippo e também serviu como previsão sobre os capítulos que se aproximam. Já os outros 3 capítulos se focam principalmente no Aoki, que pelo que apanhei de alguns spoilers vai ser o grande destaque dos próximos capítulos. O capítulo 950 foi o melhor dos 4, principalmente na parte bizarra do Aoki hipnotizado e claro o seu medo tinha de ser o Takamura.

 

 

9ºBeelzebub 177:

 

Na altura que fiz o post da toc nem me lembrei, mas essa página colorida não faz o menor sentindo, tanto para o dia que a Jump saiu quanto para o que está a acontecer no capítulo, onde comemoram o Natal. Ou seja uma capa comemorando o Haloween e um capítulo comemorando o Natal, só faltava em vez do Pai Natal aparecer o Coelho da Pascoa. Por um lado é uma crítica, por outro Beelzebub é um manga de comédia, então não fazer sentindo é um ponto positivo, mesmo que nesse caso não o ache.

 

O capítulo foi cheio de altos e baixos, começando em baixo, usar uma ideia que já nem tinha funcionado muito bem na primeira vez é sempre uma má ideia, a única coisa de positivo que isso teve foi ver alguma personalidade do Oga, tanto que até achei estranho ver o personagem pensar e usar a Hilda fofa a seu favor. Mas acabou estragando tudo quando dá uma de Tsuna ao encontrar a Aoi modo baby-sitter, basicamente todas as primeiras 10 páginas foram um ponto baixo.

 

 

Mas depois na página 10 é tudo felicidade, Futaba regressou e claro roubou o capítulo, com a frase do Kanzaki, “O Pai Natal morreu” e “No mês passado, o seu trenó bateu no caminhão do lixo”, fora a reação épica da Futaba, o Toujou que se prepare porque vai levar com a força da criança que descobriu que o Pai Natal morreu.

 

Por fim, um baile de Natal, que tem tudo para ser excelente. O problema é o de sempre mais uma vez o autor decide continuar com os capítulos normais em vez de seguir para um plano maior, de qualquer maneira a Futaba deve animar os próximos capítulos. O curioso é que logo no capítulo do regresso da Futaba o autor deixa o Furuichi de fora, medo de um confronto directo entre os melhores personagens do manga?

 

 

8ºOne Piece 685:

 

One Piece comemorando o Haloween, com uma página dupla colorida excelente. Sendo que provavelmente essa página foi mesmo o momento mais emocionante do capítulo, que novamente voltou a ser bem sem sal. De qualquer maneira o destaque sem dúvida vai para o Zoro e a sua frase, “Whisky ou Cerveja”.

 

O meu actual interesse em One Piece tem estado tão baixo que me escapou completamente o facto obvio do mini Shen Long que apareceu no final do último capítulo ser o Monosuke, de qualquer maneira se confirmou, novamente o Luffy por pura coincidência vai parar ao sítio onde está o “objectivo” do arco. Pelo menos, ele ganha um pouco de destaque nesta saga onde ele tem estado tão sem sal quanto o manga.

 

 

Não gostei muito da maneira como o Oda desenvolveu o flashback, não pela personalidade do Monosuke, mas por ter entrado no cliché de fazer tudo rápido, pela maneira como a outra criança falou dele parecia que eram amigos e no final mal se tinham falado antes. Em contrapartida o facto de haver uma akuma no mi, mesmo que artificial, do Dragão faz com que se possa acreditar numa akuma no mi dessas para o Monkey D. Dragon, ainda para mais o dragão se parece com o Shen Long, o que combinaria com o Dragon que já mostrou controlar o clima, ou algo do tipo.

 

Por outro lado não gostei da akuma no mi da Monet, desde que o Oda inventou o haki que tem sido cada vez mais natural as akuma no mis tipo logia, algo que não vejo com bons olhos, porque é tornar algo banal, o que até há guerra de Marienford era algo especial e raro. Além disso akuma no mis do tipo zoan não tem sido muito utilizadas e o Oda poderia apostar mais nelas, nem que seja para balancear melhor os 3 grupos.

 

 

7ºPSI 1:

 

Se há um lado bom de um gag manga ter bastante sucesso na Jump é que mais tarde ou mais cedo alguma scanlator acaba pegando o manga para traduzir e assim dá para tirar a curiosidade sobre o que o manga trata e se a ideia que se tira das raw é correcta ou não. E nesse aspecto tenho a dizer que mesmo não sendo muito diferente do que imaginei ao ver as raws, me surpreendeu porque não é tão infantil como o seu antecessor, Inumarudashi.

 

Não há muito o que dizer sobre a história do manga, é uma pessoa que nasceu por poderes psíquicos, ou seja se tornando um usuário de PSI, o que deixa em aberto se existem mais como ele não, provavelmente o autor só irá decidir bem lá para a frente. Apesar do personagem ser aquele típico personagem cliché que por causa de ser superior não liga para o resto do mundo, típico personagem da Geração dos Milagres de Kuroko no Basket, gostei dos monólogos internos dele.

 

Principalmente sobre o motivo por ele não gostar dos seus poderes, porque no Universo de PSI, apenas ele tem esses poderes, ou seja ele pode fazer tudo com os seus poderes, como ele bem explica é como se fosse um vilão de manga shounen, só que ao contrário dos mangas shounen ele não teria inimigos, como ele também diz bastaria apenas 3 dias para controlar o mundo com os seus poderes. Apesar de cliché, sem dúvida a melhor piada é onde ele explica o porquê de não gostar de ouvir os pensamentos.

 

 

O resto do capítulo mostra a relação dele com os seus pais, que levam na boa o facto do filho ter esses poderes, comecei por gostar dessa interação entre os personagens, mas lá para as últimas páginas já estava a ficar chato. O que mostra bem o porquê de gags mangas terem menos páginas no primeiro capítulo e até mesmo nos capítulos normais.

 

Para concluir, não é o melhor gag manga já publicado na Jump, longe disso, mas serve para ser o único gag manga da revista e tapar a cota necessária desse género na revista. Nem sei se vou continuar a acompanhar, já que o manga tem tudo para ser bem repetitivo, mas logo vejo depois de ler o segundo capítulo.

 

 

6ºDorohedoro 53:

 

Capítulo quase filler, onde basicamente só tenho uma coisa a comentar, seguiu a mesma linha de raciocínio que o capítulo desta semana de Toriko, apresentando no início a cena onde dois personagens randoms vão comprar “carne”, que serve para se transformar em futuros demónios, no ar fica a pergunta sobre que carne é essa.

 

Passa para a cena do demónio amigo da Nikaido, onde ele é desmembrado e volta ao seu estado normal, retirando-lhe o título de demónio, passa para umas cenas de acção com a Nikaido e o Kaiman. Isto para no final soltar a pérola que a tal carne é na verdade carne de demónio, não ficou uma cena tão perfeita como em Toriko, mas a maneira simples, bizarra e eficaz com que a autora faz isso dá profundidade ao capítulo e mesmo ao manga inteiro.

 

 

5ºGintama 417:

 

Mais um bom capítulo de Gintama, apesar de não tão genial e tão constante como o anterior, começou meio fraco, melhorou com a chegada dos macacos, antes do final já estava a cair de qualidade, mas terminou bem com um combo de momentos sem noção. O grande problema de não acompanhar algo desde o início é ver personagens a relacionar com os já conhecidos protagonistas e não saber nada sobre eles, no caso a criança e essa mulher, apesar de que ela ainda vi nos recentes capítulos do anime.

 

Este capítulo também foi bastante focado na história japonesa, algo que acabou meio disfarçado com a chegada dos macacos e quando dá para ver que o Gintoki já perdeu completamente o rumo da história, mas na maior parte do tempo é apanhar do ar, apesar de que há algumas coisas que me lembro por alto, como a batalha de Sekigahara e alguns nomes de generais dessa época, informação essa que sei já de ler outros mangas, principalmente Samurai Deeper Kyo que se passa nessa época.

 

 

Uma cena excelente foi a naturalidade com que Gintama fez uma referência a Assassination Classroom, ficando numa daquelas situações, percebes-te a referência achas genial, não percebes-te nada a preocupar, já que nesse momento o capítulo já não fazia o menor sentindo mesmo. Até porque se pensar-se bem o Universo de Gintama não é propriamente um Japão futurista, então referências ao passado japonês por si só já não faz muito sentindo.

 

Para concluir, é sempre bom ver quando uma conversa estranha dessas vai aumentando aos poucos o nível apocalíptico da história, começando com uma metáfora simples, mas se expandindo para uma guerra apocalíptica sem o menor sentido. O melhor momento do capítulo sem dúvida alguma foi quando o Gintoki explica as mudanças de capital do Japão feudal, com os macacos mudando de caverna e mais tarde para um iglô.

 

 

4ºToriko 208:

 

Inicialmente era para ficar mais baixo, até porque o capítulo em si parece ser um capítulo de uma só cena, mas olhando o capítulo como um todo e a maneira como foi construído parece que o Shimabukuro fez tudo de propósito. Ou seja esse desfecho cliché e bem infantil do arco, meio que foi feito de propósito para a cena final ter ainda mais impacto, porque o mais importante da cena final é mesmo o facto de ser o completo oposto do resto do capítulo, 15 páginas de um manga infantil e 4, principalmente as duas últimas, com uma qualidade do nível de Hunter x Hunter. Se isso não foi feito de propósito então Toriko deveria estar mais abaixo, mas se o Shimabukuro fez isso tudo pensando dessa maneira deveria até ter ficado mais alto.

 

Mas voltando atrás, o desfecho do arco foi bem infantil, está certo que é na Shonen Jump, então o autor não poderia matar todos aqueles humanos, mas isso seria resolvido facilmente se não fosse mencionado, até porque as crianças nem vão pensar que alguém ali realmente morreu e se não for mencionado não fará diferença, tipo em Power Rangers onde os monstros destroem a cidade, ninguém menciona nada então ninguém liga se morreu ou não alguém pisado.

 

 

Uma coisa que ainda não sei se gostei ou não foi a dica que fica no ar que tudo é Apetite, esperar para ver como isso irá funcionar no Mundo Gourmet, já que lá é que terá o destaque. De resto também foi explicado como eles comeriam o quatro bestas, mesmo que eu ainda ache bem estranho todos os animais em Toriko serem comestíveis, não que não o sejam, mas olhando para a realidade, animais herbívoros são os comestíveis, já um leão ninguém quer saber de come-lo, ou mesmo um macaco, mas aí volta ao assunto que mesmo Toriko tocando em vários assuntos importantes, ainda é um manga shounen, onde quanto maior for o nível de captura maior o sabor.

 

A cena final é simplesmente uma obra de arte, na semana passada tinha dito que a página dupla tinha entrado para aquele grupo de páginas épicas, mas tinha as minhas dúvidas a longo prazo, mas esta digo sem qualquer dúvida, é uma página épica. E como disse nos comentários, quando comecei a ler o capítulo pensei, era excelente se o Teppei morresse, mas nunca na vida esperei que acontecesse, ainda para mais assim. E como o Dave disse para a cena ficar mesmo perfeita, só mesmo o vinho sendo o sangue do Teppei.

 

 

3ºAssassination Classroom 12-14:

 

Rankear Assassinantion Classroom é algo bem complicado, porque o manga vale pela maioria e não pelos capítulos individualmente, então fica estranho colocar o manga no meio do ranking, mas também não consigo de certa maneira olhar para o manga como o melhor da Jump da semana. E mesmo comentar arcos não é propriamente fácil, de qualquer maneira decidi coloca-lo em terceiro lugar, o que equivale ao melhor da Jump da semana.

 

O interessante de Assassinantion Classroom é que igual a Gintama as referências saem com naturalidade, como a referência a Naruto logo no início do capítulo 12. O director da escola é o típico personagem cliché, mas que em Assassinantion Classroom consegue ter uma personalidade própria e se apresentar já como um excelente personagem, lembrando um pouco a introdução do Karma no manga.

 

Outra cena cliché que ganha personalidade no manga é toda a situação da classe E, como disse na semana passada o capítulo 11 não fluiu bem e teve uma apresentação da situação da escola meio fraca, mas nestes capítulos a situação muda, porque mesmo que isso seja cliché, a verdade é que isso funciona, o facto do director querer fazer uma classe de excluídos e fazer parecer que aquilo é o pior buraco onde os estudantes podem ir parar faz com que o resto olhe para eles como superiores, desprezo e dar-lhes motivação para estudarem, para não se tornarem neles.

 

 

Outra coisa que estou a gostar no manga é a lista de fraquezas do Duro de Matar, porque são fraquezas naturais, para um monstro que pode destruir a Terra quando quiser, além de que acredito que seja com base nessas fraquezas que eles vão acabar derrotando-o. Uma cena que ficou excelente foi a maneira como o Duro de Matar reagiu ao facto da classe E se convencer de que não precisam se esforçar, já que eles tem o objectivo de mata-lo, quando na verdade é precisamente o contrário.

 

No capítulo 13 novamente acaba numa cena cliché, para no capítulo seguinte o autor desconstruir tudo, numa maneira diferente de roteiro, que ganhou muito com o factor surpresa e originalidade, não diria que foi perfeitamente construído, mas funcionou. No final foi tudo uma armadilha do professor o que deixa tudo mais interessante para o futuro e deu uma boa cena final com os alunos trollando o professor.

 

 

2ºRookies 73-75:

 

Fiquei surpreso da AIUEO ter lançado 3 capítulos nesta semana, mas ainda bem que o fizeram, porque deu um ar melhor aos capítulos, da mesma maneira como ler Hajime no Ippo seguido é melhor do que ler capítulo a capítulo. Os capítulos continuam meio filler, digo meio porque mesmo que não tenham nada a ver com Basebol, servem para construir o protagonista, algo que na minha opinião não seria preciso neste momento, dava para o fazer aos poucos, mas por outro lado parar e fazer alguns capítulos dedicado apenas ao Kawatou também é uma boa ideia e que aumenta a qualidade do manga a curto e longo prazo.

 

Foi apresentando um novo personagem, que junto do Kawatou é o destaque do arco, ele igual ao Kawatou tem uma personalidade um pouco exagerada, um ideal quase impossível de ser concretizado, mas combina com o que Rookies se propõe a fazer. A cena final do capítulo 73 ficou excelente, porque combina na perfeição com os dois personagens, principalmente com o Kawatou que não viu o nível da conversa que ele estava a ter com o aluno.

 

 

Os capítulos 74 e o 75 são focado na maneira diferente de ser do Kawatou, um professor novato que tenta sempre ver o lado positivo e que quer ajudar a todos, tanto que ele fica irritado com a maneira como os outros professores lidam com a situação, uma situação que se diga normal e impossível de resolver, mas aí que entra a personalidade do Kawatou e a sua determinação que ajudam a ligar os dois lados, fazendo lembrar de certa maneira o papel do Hana Tsukishima em Worst, que tem a personalidade para unir a escola que o Bouya Harumichi não tinha em Crows.

 

O arco em si ainda não terminou, mas espero que não demore muito a ser concluído, mesmo gostado dos capítulos, o manga tem de saber oscilar melhor entre manga escolar e manga de desporto, mas percebe-se, já que o anterior manga do autor era um manga escolar, com um pouco de desporto, o contrário deste, o que dificulta a transição.

 

 

1ºGreen Blood 9-10:

 

A história desses dois capítulos de Green Blood são basicamente contados através dessas 3 excelentes páginas duplas. Na primeira a diferença entre um manga shounen e um seinen, no shounen ele sairia daquele duelo vencedor, mas num seinen isso não é possível e além de sair com o rabo entre as pernas, não consegue a vingança que tinha ido buscar. Além disso uma cena excelente é ver que o líder da gang não jurando que o vai matar, como aconteceria de certeza num manga shounen.

 

 

Na segunda, ele se encontra a pensar sobre a sua vida, o que fez e o que irá fazer, visitando o cemitério da sua mãe, numa excelente cena, mesmo que bastante utilizado, na maioria das vezes terá sempre o mesmo excelente impacto. Por fim, na última página dupla, o desespero, vendo que tudo o que faz sempre acaba afectando negativamente tudo e todos com que se preocupa, algo que é retratado bem na cena final do capítulo, com o seu irmão mais novo em perigo.

 

 

Ranking:

1ºGreen Blood
2ºRookies
3ºAsssassination Classroom
4ºToriko
5ºGintama
6ºDorohedoro
7ºPSI
8ºOne Piece
9ºBeelzebub
10ºHajime no Ippo
11ºNisekoi
12ºTakamagahara
13ºFairy Tail
14ºBleach
15ºGin no Saji
16ºNaruto
17ºKuroko no Basket
18ºReborn

publicado por Dark-Fenix às 22:17